Please reload

Da mesma forma de como canta Skank: quem não sonhou em ser um jogadorde futebol, todo menino sonhou um dia em ser pescador... Talvez não tenhamos nascido com o dom divino de ser pescador. Mas pegamos o atalho e sentamos nos bancos da Universidade para ser Engenheiro de Pesca. E eles, os pescadores, nos chamam de "doutor", balanço a cabeça e sorrio... retruco sempre -"doutor" é quem sabe das coisas, "doutores" são vocês, eu apenas tive chance de ir para a Universidade e receber um título. Difícil é acordar de madrugada e num barquinho frágil ir para o mar imenso e misterioso e trazer os peixes, com o esforço de seus braços: "doutores da vida".

April 2, 2016

Please reload

As fotos exibidas nestas cessões são de arquivo pessoal, cedida por amigos ou disponível na internet. Se por acaso forem censuráveis ou lesivas à direitos

autorais, por favor contacte o 

Editor

José Milton quase pescador (1977).      E Enfim a formatura - 1980

Placa da 1a. Turma de Engenharia de Pesca da UFRPE

Evangelista cuja luta garantiu a continuidade do Curso de Engenharia de Pesca na UFRPE.

Raimundo Evangelista Neto

Engenheiros de Pesca da 1a. Turma (1974)

Observe as belas calças boca-de-sino em voga na época.

Detalhe: Profs.: Romildo (no centro de preto); Lira 5o. da 1a. fila

e Koyke canto direito da última fila.

Engenheiros de Pesca

  (UFRPE, 1975)

    E mais calças      boca-de-sino.

IV CONBEP - Curitiba, 1985

2a. Fila: Thais, Armando, Fábio Perdigão, Genário,

Diogo; Marcos Porto e 3a. Fila: Eduardo e José Milton.

IV CONBEP - Curitiba, 1985

     Olha o Geraldão. e o Odilon lá no meio, 6a. fila.

Detalhe: Na, 4a. feira, o Coritiba foi Campeão brasileiro (futebol), vencendo o Bangu nos penaltis

após empate de 1x1.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now