Da mesma forma de como canta Skank: quem não sonhou em ser um jogadorde futebol, todo menino sonhou um dia em ser pescador... Talvez não tenhamos nascido com o dom divino de ser pescador. Mas pegamos o atalho e sentamos nos bancos da Universidade para ser Engenheiro de Pesca. E eles, os pescadores, nos chamam de "doutor", balanço a cabeça e sorrio... retruco sempre -"doutor" é quem sabe das coisas, "doutores" são vocês, eu apenas tive chance de ir para a Universidade e receber um título. Difícil é acordar de madrugada e num barquinho frágil ir para o mar imenso e misterioso e trazer os peixes, com o esforço de seus braços: "doutores da vida".

As fotos exibidas nestas cessões são de arquivo pessoal, cedida por amigos ou disponível na internet. Se por acaso forem censuráveis ou lesivas à direitos

autorais, por favor contacte o 

Editor

José Milton quase pescador (1977).      E Enfim a formatura - 1980

Placa da 1a. Turma de Engenharia de Pesca da UFRPE

Evangelista cuja luta garantiu a continuidade do Curso de Engenharia de Pesca na UFRPE.

Raimundo Evangelista Neto

Engenheiros de Pesca da 1a. Turma (1974)

Observe as belas calças boca-de-sino em voga na época.

Detalhe: Profs.: Romildo (no centro de preto); Lira 5o. da 1a. fila

e Koyke canto direito da última fila.

Engenheiros de Pesca

  (UFRPE, 1975)

    E mais calças      boca-de-sino.

IV CONBEP - Curitiba, 1985

2a. Fila: Thais, Armando, Fábio Perdigão, Genário,

Diogo; Marcos Porto e 3a. Fila: Eduardo e José Milton.

IV CONBEP - Curitiba, 1985

     Olha o Geraldão. e o Odilon lá no meio, 6a. fila.

Detalhe: Na, 4a. feira, o Coritiba foi Campeão brasileiro (futebol), vencendo o Bangu nos penaltis

após empate de 1x1.

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now